quarta-feira, maio 29, 2013

Leda Barbosa


Leda Barbosa (Leda Barbosa de Sant'Ana), cantora, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 03/03/1923, e faleceu em princípios de março de 2013. Com 60 anos de carreira e tia do cantor Jorge Vercilo de quem foi grande incentivadora da carreira artística, viveu a época dourada da Rádio Nacional. Atuou no Copacabana Palace e no Cassino Atlântico. Em 1946, lançou na Rádio Nacional o samba Samba de morro, de Billy Blanco.

Estreou em discos em 1948 quando registrou pela gravadora Star a marcha Mulher geniosa, de Sá Róris e Alcir Pires Vermelho, e o samba Está quase na hora, de Pedro Caetano e Alcir Pires Vermelho. Ainda na década de 1940, participou de uma edição do programa radiofônico "Dicionário Toddy" apresentado por Fernando Lobo na Rádio Tupi no qual interpretou a modinha Ontem ao luar (Choro e poesia), de Catulo da Paixão Cearense e Pedro de Alcântara.

Em 1950, tomou parte do programa "Poemas sonoros" escrito por Eurico Silva e apresentado por Manoel Barcelos com a participação da orquestra do maestro Léo Peracchi no qual interpretou canções como Minha prece, Dois corações, e Minha saudade.

Em 1963, gravou pelo selo Pawal os sambas Pergunto se ele tem, de Barbosa de Souza, e Samba, mulata samba, de H. Expedito e L. Vieira. No ano seguinte, já pelo selo Ritmos gravou os sambas Não tem jeito, de Nelson Trigueiro, e Lágrimas de culpa, de João Grimaldi. Ainda por essa época, gravou pelo selo Tiger a marcha Você vai, de Toledo Cruz.

Em 1969, participou do disco independente Estórias de amor com obras do compositor Leonel Azevedo no qual interpretou os sambas Sonho desfeito, de Leonel Azevedo e Adelmo Lima, e Saudade teimosa, de Leonel Azevedo. Em 1972, participou do LP Alma do sertão lançado pela gravadora Copacabana com gravações do programa "Alma do sertão" apresentado por Renato Murce interpretando a toada Sabiá da mata, de Renato Murce.

Em 2002, sua interpretação para o samba Sonho desfeito, foi incluída no volume 1 da série de três CDs que o selo Revivendo lançou com o título Leonel Azevedo - o Compositor em Estórias de Amor - Volumes 1, 2 e 3.

Em 2006, retomou a carreira artística com o lançamento do CD A meiga presença produzido por Jorge Vercílio disco no qual interpretou entre outras as músicas Chove lá fora, de Tito Madi, Ronda, de Paulo Vanzolini, Pergunto se ele tem, de Barbosa de Souza, e Trovões e vendavais, de Jorge Vercilio.

A jovem intérprete da Nacional

"O interesse com que a Rádio Nacional seleciona valores para o seu «case» constitui justo prêmio àqueles que de fato possuem mérito, como no caso de Leda Barbosa, uma jovem e futurosa intérprete de nossas melodias populares.

Surgindo através da «Hora do Guri», quando ainda vestia o uniforme de aluna da Escola Superior de Comércio, Leda Barbosa foi galgando todos os postos ambicionados por uma «estréia», tendo passado pelo «cast» da Transmissora, nos áureos tempos de Dermeval Costa Lima; pela Educadora, então dirigida por Gastão Lamounier; pela Globo, na sua grande fase; na Cruzeiro do Sul, quando esse prefixo contava com Ari Barroso e Paulo Roberto; e, finalmente, agora se encontra na P.R.E-8, animando a programação de estúdio desse prefixo.

Bastante jovem, com um futuro risonho à sua frente, Leda Barbosa além de cantora, sabe dedilhar um violão, embora não o faça publicamente. Tendo começado como cantora de foxes e blues, hoje prefere a canção e o samba-canção, gênero em que é uma das primeiras, não só pela maneira com que os interpreta, como ainda pela bonita voz que possui.

Fluminense de nascimento, pois nasceu em Niterói, a graciosa cantora possui o diploma de contadora, sabe falar inglês, gosta de praticar natação, desconhece o que seja superstição e frequenta assiduamente os cinemas. Conhece alguns Estados do Brasil, inclusive o de Minas Gerais, onde cantou na Rádio Inconfidência, com verdadeiro sucesso." (Revista da Semana n° 48 – 29/05/1948)

Discografia

(2006) A meiga presença • CD
(1964) Não tem jeito/Lágrimas de culpa • Ritmos • 78
(1964) Você vai • Tiger • 78
(1963) Pergunto se ele tem/Samba, mulata samba • Pawal • 78
(1948) Mulher geniosa/Está quase na hora • Star • 78

______________________________________________________________________
Fontes: Dicionário Cravo Albin da MPB; Revista da Semana de 29/05/1948; Revista do Rádio de 05/06/1950.