sexta-feira, junho 21, 2013

Vicente Leporace

Vicente Leporace - 1953
Vicente Leporace (Vicente Fiderice Leporace), jornalista, compositor, ator e radialista, nasceu em São Tomás de Aquino, MG, em 26/01/1912, e faleceu em São Paulo, SP, em 16/04/1978. Irmão do também compositor Sebastião Leporace e tio dos músicos Gracinha, Mariana e Fernando Leporace, se mudou ainda criança para a cidade de Franca, São Paulo.

Em 1932, participou da Revolução constitucionalista em São Paulo. Além de sua atuação radiofônica teve colunas em diferentes jornais paulistas. Faleceu de edema pulmonar, aos 66 anos de idade.

Iniciou a carreira artística em 1941, na Rádio Clube Hertz de Franca. Atuou posteriormente nas Rádios Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro, e Cruzeiro do Sul, Record e Bandeirantes, em São Paulo, sendo que na última permaneceu atuando durante décadas. Em seu programa na Rádio Bandeirantes em 1944 começou a carreira artística do Grupo do Luar, rebatizado a partir de concurso por ele promovido como Demônios da Garoa. Foi parceiro de Hervé Cordovil em obras como Jangada, Prelúdio e Onde estou?.

Em 1951, estreou o programa radiofônico "O trabuco" que ficou quase trinta anos no ar comentando os fatos políticos do dia. Teve músicas gravadas por nomes como Agnaldo Rayol, Almir Ribeiro e Sílvio Caldas. Estreou no cinema em 1947, atuando no filme Luar do Sertão. Três anos depois, atuou no filme A vida é uma gargalhada, em 1952, no filme Sai da frente.

No ano seguinte esteve nas películas Nadando em dinheiro; Uma pulga na balança e Sinhá Moça. Em 1954, atuou em mais dois filmes: É proibido beijar e Na senda do crime. Ainda em 1952, assinou com Hervê Cordovil o samba-canção Porque gravado por Isaura Garcia na RCA Victor. Em 1955, participou do filme Carnaval em lá maior dirigido por  Adhemar Gonzaga.

Em 1956, o samba-canção Jangada, com Hervé Cordovil, foi gravado por Sílvio Caldas pela Columbia, enquanto o samba-canção Pode ficar foi gravado por Carmélia Alves no LP Hervé Cordovil da gravadora Copacabana. No ano seguinte, teve o samba-canção Onde estou?..., com Hervê Cordovil, gravado pelo então estreante cantor Almir Ribeiro.

Em 1958, a cantora Leny Eversong gravou pela Beverly os sambas-canção Pode ficar e Jangada, os dois com Hervé Cordovil.  No mesmo ano, o samba-canção Onde estou, com Hervé Cordovil, foi gravado por Duda e Seu Conjunto no LP Hit parade - Duda e Seu Ritmo e Coro da gravadora Continental. Ainda no mesmo ano, esse samba-canção deu título a uma coletânea que reuniu todos os discos de 78rpm do cantor Almir Ribeiro, falecido em fevereiro daquele ano.

Em 1960, o samba O rei do samba, com Hervé Cordovil, foi gravado por Jorge Goulart no LP Eu sou o samba da RCA Victor. No mesmo ano, a cantora Elza Laranjeira no LP A noite do meu bem da gravadora RGE registrou o samba-canção Porquê, com Hervé Cordovil.

Em 1963, o cantor José Tobias no LP Poema triste da Áudio Fidelity regravou o samba-canção Jangada.

Em 1971,atuou no filme A hora e a vez do cinegrafista.

Obra

Jangada  (c/Hervé Cordovil), O rei do samba (c/Hervé Cordovil), Onde estou? (c/Hervé Cordovil), Pode ficar (c/ Hervé Cordovil), Porque (c/ Hervé Cordovil), Prelúdio (c/Hervé Cordovil).

Playlist





_________________________________________________________________
Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB; Revista do Rádio.