terça-feira, setembro 17, 2013

Mamãe preta

Mamãe preta (canção, 1928) - Hekel Tavares e P. M. Almeida - Letra de Paulo Mendes - Interpretação de Sérgio da Rocha Miranda, acompanhado por piano - Disco Odeon, 1928 - Gênero musical: modinha / canção - Nº Álbum 10172 - Data lançamento 1928 - Lado A.



Mamãe preta que me embalou,
Eu bem me lembro de você...
Eu era tão pequenino,
E, para os meus olhos de criança,
Você, na luz fraca do quarto,
Era apenas uma sombra
Na brancura da parede.

Mamãe preta, mamãe preta,
Eu não me esqueço de você...
E a tenho sempre no olhar
Da Saudade, que tudo vê...

Mamãe preta, se eu não dormia,
Sua voz, fanhosa e rouca,
Com brandura me dizia:
— "Drume, drume sinhozinho,
Sinhô parece zumbi
Preta véia tá cansada
E o sinhô não quê drumi"...

E eu custava a dormir...
E você, com paciência,
Ficava sempre a velar...
Ficava sempre a meu lado,
Cantando, num tom magoado,
Cantigas da sua raça,
— Mãe preta que me embalou!

______________________________________________________________________
Fontes: IMS in "TAVARES, Hekel; ALMEIDA, P. M; MIRANDA, Sérgio da Rocha. Mamãe preta. Acompanhado por Piano. [S.l.]: Odeon, 1928"; http://www.brasiliana.usp.br / bbd / bitstream/ handle / 1918/ 060052-15/ 060052-15_COMPLETO. pdf.txt;